Governo Luiz Inácio

Editorial – Quando as palavras e a prática se devoram

Não há dúvidas de que as massas populares devem arrancar seus direitos pela força de sua mobilização. A espera passiva pelos prometidos “decretos”, “medidas” e “reformas” de governos resulta sempre em não haver nenhuma mudança, e no fortalecimento, pela frustração, da extrema-direita no seio das massas empobrecidas.
Os operários, camponeses e progressistas devem se libertar da camisa de força da chantagem paralisante de que “sem Lula é pior” e da miséria ideológica com que o oportunismo os entorpecem, segundo a qual há que dar sustentação política a este governo e encobrir sua natureza de governo de direita
O governo Luiz Inácio anunciou o seu “novo” programa para a educação: o “Pé de Meia”. A medida se mostra paliativa e ineficaz de resolver os problemas estruturais que assolam a Educação pública brasileira.
No último dia 30 de dezembro, o governo de Luiz Inácio anunciou um novo programa de incentivos no qual prevê o incentivo de cerca de R$ 19,3 bilhões em incentivos fiscais para montadoras de carros elétricos sob o discurso de "descarbonização" do país
Nove meses após o anúncio do governo de que até agosto seriam apresentados 6 Planos de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento referente aos 6 biomas brasileiros, apenas um foi apresentado.