grilagem

MA: Moradores da comunidade de São Benedito no Maranhão denunciam crimes de grilagem na região

A comunidade tem mais de 200 anos de existência, com terras passadas de geração para geração, na qual os moradores trabalham na roça para sua subsistência.
O evento contou com a participação de advogados populares, pesquisadores, sindicalistas e jornalistas do estado de outras regiões do país que participaram da comissão julgadora do Tribunal. 
Indígenas de várias etnias bloquearam o trânsito da BR-174 contra um pedido de reintegração de posse movido pelo grileiro Djalma Castelo Branco. O magnata já havia feito um pedido antes, mas a exigência infundada foi negada pela justiça.
O recém-formado Comitê de Solidariedade à Luta Pela Terra emitiu uma nota acerca da morte de dois pistoleiros encontrados mortos na localidade Campina, em Maranhão, no dia 3 de janeiro de 2024. Ambos os pistoleiros foram identificados como guardas municipais de Cândido de Mendes.
Reproduzimos abaixo uma importante reportagem de Caio de Freitas Paes, da Agência Pública, acerca de um caso de conivência do sistema judiciário com a grilagem de terras na zona rural de Correntina, Bahia.
No dia 3/09, 44 famílias que ocupavam uma área da Gleba Roça do Povo, em Porto Seguro (BA) foram expulsas de suas terras durante uma ação de despejo promovida pela PM a mando do governo baiano.
No dia 14/09, o governador de São Paulo Tarcísio de Freitas iniciou a entrega dos primeiros 37 títulos de terras vendidas com 90% de desconto a latifundiários da região do Oeste do Paranapanema, SP.
No dia 29 de maio, uma comitiva liderada pelo deputado reacionário Ricardo Salles (PL-SP) importunou camponeses pobres no Pontal do Paranapanema, região Oeste do estado de São Paulo.
Reacionário Ricardo Salles, relator da "CPI do MST". Foto: Reuters