Luta pela terra

Com “abraço fraterno” Lula legitima ofensiva latifundista de Arthur Lira em Alagoas

Em evento em Maceió, Lula se junta a políticos corruptos, como Arthur Lira, em entrega de casas do Minha Casa, Minha Vida. Lula defende oligarquias latifundiárias e ignora luta pela terra. População camponesa protesta contra despejos ilegais e avanço da extrema direita.
No dia 22 de abril, indígenas que compõem as diversas etnias Gavião bloquearam a Br-222, no Território Indígena Mãe Maria.
No dia 30 de abril, durante manifestação em celebração antecipada do 1º de Maio, promovida por várias centrais sindicais em São Luís, cerca de cem camponeses ativistas da União das Comunidades em Luta (UCL), protestaram contra os crimes da grilagem de terras que tem se intensificado no interior do Maranhão e ganhado mais força com a Lei da Grilagem promovido pelo governo Carlos Brandão (PSB).
Camponeses que ocuparam recentemente a fazenda Ipê, em Machadinho D’Oeste, região nordeste de Rondônia, denunciaram um ataque brutal ao acampamento, promovido por um bando de paramilitares e policiais da PF, no dia 07 de março de 2024.
Na última semana, camponeses residentes da Comunidade Marielle Franco, no sul do Amazonas, denunciaram um ataque contra os trabalhadores protagonizado por policiais militares do Bope do Acre, que sequestraram e torturaram os camponeses, que estão hospitalizados ou desaparecidos.
No dia 19 de janeiro, posseirosdo município de Jaqueira-PE impediram que a empresa Agropecuária Mata Sul S/A de pulverizasse agrotóxicos em áreas próximas às posses dos camponeses.
Após resistirem à intensos covardes da pistolagem e do latifúndio, camponeses da Gleba Campina, no Maranhão, conquistam vítoria
A banda "Terravante" lançou um novo clipe do mais recente lançamento "Conquistar a Terra (Hino da Revolução Agrária)". O lançamento está disponível em seu canal do YouTube. Também foi disponibilizada a letra e a cifra.
Das 300 terras quilombolas estipuladas como meta de regularização pelo novo governo até 2026, somente 12 foram regularizadas. O avanço ínfimo é resultado direto do comprometimento sólido do velho Estado e governo com os interesses do latifúndio.
Na última quarta-feira 22/11 foi realizado uma aula aberta na Universidade de Estado de Minas Gerais (UEMG), campus Ibirité, com o tema  "A luta pela terra e a luta de classes no campo".