Torcedores acusam diretoria do Vasco de desviar arrecadação de vaquinha feita para o pagamento de professores

Torcedores acusam diretoria do Vasco de desviar arrecadação de vaquinha feita para o pagamento de professores

Print Friendly, PDF & Email

O colégio Vasco da Gama, nas dependências do Complexo de São Januário

No último dia 5 de agosto, após completos três meses de salários atrasados, docentes do Colégio Vasco da Gama, localizado no Complexo de São Januário, Zona Norte da capital fluminense, deflagraram uma greve com o objetivo de reivindicar a normalização de seus salários e também a compra de materiais essenciais para o funcionamento das instalações da instituição de ensino.

Comovidos com a situação, torcedores do clube resolveram criar e divulgar uma campanha de arrecadação na internet com a finalidade de, no mínimo, regularizar os vencimentos dos funcionários. O movimento foi um sucesso: em pouco mais de um dia, a meta da ‘vaquinha’, que inicialmente era de R$ 70 mil, já havia sido alcançada, fazendo com que os organizadores passassem a permitir valores maiores que, por fim, chegaram em torno de R$ 100 mil.

Com a aparente resolução do problema, o sindicato dos professores encerrou a greve na última segunda-feira (12), retomando as atividades e aguardando a execução dos repasses. Uma desagradável surpresa, no entanto, veio logo depois: o clube, por meio de nota oficial publicada na última quinta-feira (15), informou em seu site que utilizaria o montante para a construção de uma nova instalação, alegando que “(…) não seria justo ou correto que o clube quitasse parte do salário de apenas uma classe de funcionários (…)”.

Agravando as circunstâncias do posicionamento oficial da diretoria, segundo informações apuradas pelo monopólio da imprensa juntamente ao clube, a mesma teria alegado que o valor arrecadado não seria suficiente nem mesmo para regularizar um dos três meses de salários atrasados. No entanto, o grupo Guardiões da Colina, responsável pela criação da campanha, alegou em nota que procurou antecipadamente pelo departamento competente do clube que, por sua vez, teria repassado a informação de que os débitos estavam na casa dos R$ 65 mil.

Além de outras informações, a nota do grupo Guardiões da Colina alega que a diretoria do clube quer usar o dinheiro para valorizar a própria infraestrutura porque prometeu cumprir com suas responsabilidades quanto ao atraso de pagamento dos professores, e ainda acrescenta que a plataforma utilizada para a arrecadação estabelece um prazo para a retirada do valor, que será usado para observar se os pagamentos serão feitos aos professores com recursos próprios do clube antes do repasse da campanha para fins diversos.

Nas redes sociais, torcedores começaram a questionar e demonstrar profundo repúdio com as intenções da diretoria:

PRECARIZAÇÃO DO COLÉGIO É ANTIGA 

Atletas da base vascaína posam para foto na biblioteca do colégio; entre eles, o atual camisa 11 da Seleção Brasileira, Philippe Coutinho

O Colégio Vasco da Gama foi criado em 2004 sob a justificativa de conciliar a formação desportiva e educacional de seus atletas, extirpando uma série de violações aos direitos da criança e do adolescente que, até os dias de hoje, são comuns no futebol de base. Por conta do pioneirismo da medida, a escola se tornou um orgulho para os torcedores. Nos seus 15 anos de existência, no entanto, vem sofrendo com a falta de recursos derivada da decadência econômica pelo qual passa o clube, tida como a maior de sua história.

No início deste ano, por exemplo, diversos profissionais foram demitidos de forma sumária pelo clube e substituídos por quadros de uma empresa terceirizada (Sistema de Ensino GPI) que havia firmado parceria com o Vasco. Meses depois, as partes começaram a travar uma batalha judicial por suposta quebra mútua de contrato.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: