USA: Ativista de Austin é executado por sargento durante protesto

USA: Ativista de Austin é executado por sargento durante protesto

Print Friendly, PDF & Email

Garrett Foster e sua noiva, Whitney Mitchell 

Um ativista de Austin que defendia o direito do povo de lutar pelos seus direitos foi assassinado com diversos disparos em Austin (Texas), no dia 25 de julho, em uma marcha em solidariedade aos grandes protestos combativos de Portland, por um sargento que já havia atropelado um manifestante durante a marcha. O atirador fugira com o carro e Garrett Foster, o ativista baleado, morreu horas depois no hospital.

A marcha se dirigia à sede do Departamento de Polícia de Austin e, após o covarde assassinato de Garrett, outros manifestantes armados atiraram em direção ao carro.

Foster, um veterano do Exército que desde então estava ao lado do povo, estava legalmente em posse de uma arma, sendo voluntário de um grupo que providenciava segurança para a marcha, sendo assassinado por esse motivo.

Logo depois do assassinato, temendo que os manifestantes se rebelassem em revolta, incluindo os que tinham em sua posse armas, a polícia, junto da cavalaria, reprimiu os manifestantes de maneira violenta, forçando um perímetro em volta da área que Garrett fora baleado, sob ameaças de prender os manifestantes. Horas mais tarde, a polícia  deteve o sargento que havia atirado em Garrett.

No domingo, 26/07, durante a noite, o chefe reacionário do Departamento de Polícia de Austin, Brian Manley, em uma conferência virtual, afirmou ter liberado o assassino de Garrett Foster, sem informarem a sua identidade, mesmo após o sargento fascista confirmar que ele havia atirado primeiro. Ainda insultando a memória de Foster, Manley parabenizou o “bom trabalho” da força policial reacionária.

O jornal revolucionário estadunidense Tribune of the People, após uma investigação jornalística, descobriu a identidade do assassino utilizando o áudio da chamada dos policiais, fotos da placa do carro e entrevista com presentes no protesto, publicando que Daniel Perry, sargento na ativa do Exército imperialista ianque, foi responsável pela morte de Garrett. A afirmação do jornal foi feita em reportagem publicada no dia 30 de julho. 

O Escritório de advocacia de Broden & Mickelsen, que responde em nome do sargento, confirmou em um comunicado para a imprensa que Daniel Perry era o responsável pelo assassinato de Garrett Foster, afirmando também que Daniel Perry atirou primeiro.

Vídeo da noite do ocorrido, pelo Tribune of the People:

Garrett Forster, defensor dos direitos do povo

Em um artigo de opinião publicado, o jornal revolucionário Tribune of the People presta suas homenagens a Garrett Foster.

No artigo, conta um pouco de sua história, mencionando que Garrett pertenceu à Força Aérea imperialista ianque, como muitos jovens de cidades pequenas, em busca de um emprego garantido, renda fixa e possibilidade de ensino superior. Sua carreira ali terminou quando sua noiva, Whitney, adquiriu uma doença desconhecida,  que levou-na a perder suas pernas e braços. Garrett ficou ao lado dela como seu principal cuidador, cumprindo esse papel por quase uma década.

Tomando como exemplo também Whitney Mitchell, noiva de Foster, que segue lutando, o artigo pontua que “podemos ampliar o chamado para ser como Garrett, fazendo o chamado para ser também como Whitney, uma heroína por direito próprio, que também fez um pesado sacrifício. Enquanto Garrett deu sua vida em defesa do povo, Whitney também sacrificou o amor de sua vida, seu melhor amigo e seu cuidador”.

O jornal finaliza o artigo afirmando que “nenhum destino é pior do que permitir que o imperialismo ianque continue. Garrett, antes de sua morte, juntou-se ao canto Uma solução: revolução! e devemos expressar a nossos leitores, nossos amigos e nossas famílias que todos nós devemos querer isto, e querer do fundo do coração do tamanho do de Garrett, com a coragem e a perseverança de Whitney”.

O jornal ainda convida todos os seus apoiadores a estender seu apoio, amor e gratidão a Whitney Mitchell, e fazer o juramento de se mirar em Garrett Foster, que morreu lutando pelos direitos dos povos, a serviço do povo. A redação do Tribune of the people ainda chama os democratas estadunidenses para comemorações anuais na noite de 25 de julho em nome de Garrett Foster e a luta pela libertação do povo preto.

Cartaz em lembrança a Garrett Foster diz: “Honra e Glória a Garrett Foster, servo do povo, defensor das vidas negras!”. Fonte: Tribune of the People

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: