Vale ordena e justiça obedece: moradores são proibidos de protestar contra a mineradora assassina

Vale ordena e justiça obedece: moradores são proibidos de protestar contra a mineradora assassina

Print Friendly, PDF & Email

Bombeiros retiram um dos 259 corpos vítimas da Vale. Foto: Banco de Dados AND

A grande mineradora Vale, responsável pela morte de 259 pessoas e o desaparecimento de 11 após o rompimento de uma barragem na cidade de Brumadinho em Minas Gerais, entrou com uma ação no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e conseguiu proibir qualquer tipo de manifestação nas estradas de acesso ao município, bem como nas dependências administrativas da empresa e de suas terceirizadas na região.

Leia Também: Brumadinho: Crime hediondo da Vale e seus cúmplices do governo federal e estadual contra o povo

A juíza Renata Nascimento Borges acatou o pedido e agora, segundo a ordem judicial, cada morador que teve seu ente querido morto ou que teve sua casa destruída e quiser protestar terá que pagar uma multa de R$ 5 mil.

De acordo com a liminar, as manifestações “atrapalham” as obras de reconstrução do município e causam “aglomeração”.

Leia Também: MG: Vítimas de Brumadinho fecham a cidade contra ‘calote’ da Vale

“Depois de tudo que sofremos, agora estamos proibidos de nos manifestar, de buscar nossos direitos. Me pergunto onde fica nosso direito de livre expressão? Por que somente a cidade de Brumadinho está sendo oprimida assim? A Vale diz que está pagando igual a todos, o que é mentira”, disse um morador inconformado com a decisão judicial.

Leia Também: Coasa, Brumadinho: ‘Vale assassina e terrorista! Organizar o apoio e solidariedade aos atingidos pelos crimes da Vale’

Até agora, o crime, que já ultrapassa um ano e quatro meses de impunidade antecedido de outro crime semelhante, o crime de Mariana, segue impune. A única resposta parcial do velho Estado foi a denúncia, via Ministério Público de Minas Gerais, de 16 pessoas por homicídio doloso e crime ambiental, entre elas Fábio Schvartsman, ex-presidente da mineradora. Até agora, todavia, nada avançou.

Protesto contra a Vale, em Brumadinho. Foto: Odilon Amaral

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: