greve

SP: Após 17 dias de greve operários da GM conquistam vitória

Os operários da montadora imperialista General Motors conquistaram no dia 8 de novembro a readmissão de 1.244 operários demitidos no dia 27 de outubro. Após 17 dias de greve a montadora se curvou a poderosa força dos trabalhadores que mobilizou 12 mil operários em 3 fábricas nas cidades São Caetano do Sul, São José dos Campos e Mogi das Cruzes.
Controladores de tráfego aéreo de todo o país aprovaram, em assembleia, uma grande paralisação naciona.
Trabalhadores do Metrô, CPTM e Sabesp entram em greve contra privatizações e terceirizações de governo de Tarcísio de Freitas.
No USA, milhares de operários deflagraram uma massiva greve contra as principais montadoras da cidade de Detroit, no estado de Michigan.
Em Coventry, no Reino Unido, quase mil operários paralisaram no dia 11 de julho um galpão do monopólio imperialista Amazon, exigindo aumento salarial diante da inflação.
Trabalhadores realizam piquete em greve contra a Amazon. Foto: GMB Union
A categoria dos rodoviários segue em luta por melhores condições de trabalho nacionalmente. Trabalhadores do transporte coletivo paralisaram suas atividades e bloquearam avenidas e garagens nos estados de São Paulo e Espírito Santo no dia 3 de julho.
Rodoviários de SP bloqueiam avenida da capital com ônibus exigindo aumento salarial. Foto: Reprodução/ Diário do Transporte
Enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem de hospitais estatais e privados do estado do Rio de Janeiro (RJ) declararam greve total da categoria por 48h, a partir do dia 29 de junho, exigindo seu piso salarial.
Profissionais da enfermagem bloqueiam pista da Avenida Brasil em manifestação exigindo o piso. Foto: Cléber Mendes/ Agência O Dia
Operários da refinaria Lubnor, no Ceará, anunciaram greve para o dia 27 de junho contra a venda da refinaria.
Refinaria Lubnor. Foto: Divulgação
Após uma semana de greve, no dia 05/06, servidores públicos de Florianópolis continuavam a enfrentar ameaças e perseguições cada vez mais graves por parte da prefeitura reacionária de Topázio Neto (PSD).
Servidores realizam protesto em meio à greve em Florianópolis (SC). Foto: Sintrasem/Divulgação/CSC
Trabalhadores decidiram manter mobilização até conquistar todas as pautas da greve