Governo Lula

Governo atende indicação de Arthur Lira para novo Superintendente do Incra de Alagoas

Ainda não se sabe, contudo, como os camponeses da região vão reagir. A expulsão de César Lira foi exigida depois de anos de conflitos dos camponeses com o então superintendente. César Lira era conhecido por ameaçar constantemente o MST.
Os movimentos de Luiz Inácio são um novo passo da política de apaziguamento do governo para tentar resolver a crise institucional, mas até aqui a estratégia tem falhado.
A visita de Luiz Inácio foi marcada pelos acenos ao latifúndio: posou com o governador pró-latifúndio Eduardo Riedel (PSDB), elogiou a empresa latifundiária JBS e prometeu “carne de qualidade” para a China.
Luiz Inácio posou ao lado de governador latifundista, Eduardo Riedel. Foto: Saul Schramm/Governo de MS
A economia global está em crises sucessivas e crescentes há anos, e as tensões em andamento em todo o planeta, seja na forma de guerra aberta ou não, fazem elevar as instabilidades na cadeia do sistema imperialista mundial.
É um movimento geral de rechaço à precarização do trabalho, superexploração e arrocho, sobretudo após a manutenção dos ataques ao funcionalismo público apesar da troca de governos. 
Ministros atendem interesses do mercado, mas presidente ainda tem que se decidir. Luiz Inácio conciliará com acionistas ou manterá a posição de reter os dividendos?
Com a crescente de lutas camponesas nos últimos anos, os latifundiários têm ampliado a sua atuação oficial e extraoficial para garantir a manutenção do monopólio da terra no País e os benefícios absurdos ao latifúndio, tudo às custas do povo, particularmente dos camponeses pobres, indígenas e quilombolas, e da Nação.
A formação ocorrerá às 13 horas, na sala 03 do primeiro andar do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).
Mais de 650 cidades receberam verbas acima dos limites colocados pela própria pasta da Saúde, mesmo sem capacidades para usá-las. Enquanto isso, outras 1.332 cidades não receberam o dinheiro solicitado.
Quem indicou Barbosa primeiramente foi o setor de inteligência do Comando Militar Leste (CML) do Exército, junto de outros quatro nomes. O CML era comandado por Braga Netto, interventor no Rio de Janeiro. Ao fim, Nunes bancou a nomeação apesar das contraindicações da Polícia Civil.