Situação Política

Depois de entrevista de Luiz Inácio, Haddad anuncia que fará cortes na semana que vem

O governo de Luiz Inácio está vinculado profundamente com os objetivos econômicos das classes dominantes.
O áudio implica Jair Bolsonaro, Alexandre Ramagem e Augusto Heleno por práticas nada republicanas. Contudo, não deve representar maior complicação para Jair.
Fortalecimento não passará de uma eventual vitória para um próximo mandato. A crise é tal que tudo joga para a desagregação política no seio das classes dominantes ianques.
O movimento popular, para recuperar, preservar e ampliar os direitos que têm sido arrasados nos últimos 10 anos, em especial nos últimos cinco, necessita mobilizar seriamente as massas populares para arrancar suas reivindicações.
Apenas a Revolução de Nova Democracia, dirigida pelo proletariado, pode transformar em realidade a democratização do acesso à terra a quem nela vive e trabalha, a libertação da Nação das garras do imperialismo, seu desenvolvimento econômico e tecnológico industrial autocentrado e autossustentado e a emancipação das massas trabalhadoras da cidade e do campo para completa conformação da Nação brasileira, o Brasil Novo da República Popular
“A primeira coisa que o presidente determinou é: cumpra-se o arcabouço fiscal. Não há discussão a esse respeito”, afirmou Haddad. Ele adendo que Luiz Inácio afirmou que o arcabouço deve ser “preservado a todo custo”. 
É uma conquista de familiares, advogados, jornalistas e ativistas progressistas, democratas e revolucionários que se debruçam na campanha de investigação dos crimes do regime militar e punição dos agentes e colaboradores.